Ain’t got no, I got Life (Nina Simone)

                 Por muitos anos, desde que conheci a Nina, minha música favorita pra vida era “Feeling good”. Especialmente a parte que dizia “birds flying high, you Know how I feel”… pq eu podia substituir ‘birds’ por qualquer outra coisa, tipo: “um livro de receitas Turcas no sebo? You…

“O tempo é imóvel, mas as criaturas passam”

Uma das minhas filhas é Pilar Beatriz por causa da Pilar del Rio ( ela vai casar com um escritor como o Saramago e vão ser felizes mesmo sem ganhar nenhum prêmio literário), aí vem a Ella Filipa, porque umas das meninas vai ter um nome jazz e ela vai tocar cello e morar em…

Eu moraria numa canção da Nina Simone

Agora eu nem sei mais se a biografia é da Patti Smith ou se sou eu em alguma espécie de transferência Freudiana. Porque se eu também tivesse parado no Nedick’s e colocado uma moeda na JukeBox, escolheria Nina Simone sem dúvida alguma… Se existe uma trilha sonora para um café e uma rosca de despedida?…

Janela beatnick

Ela ama postos de gasolina de beira de estrada Ela gosta dessa vista beatnick Desse parágrafo do Jack Kerouac tomando forma Toca Dylan dentro dela A estrada é folk O café é blues O tum-tum-tum do coração é jazz “Pela janela, quem é ela, quem é ela…eu vejo tudo enquadrado”. (Poesia da foto é do…

Febre mágica ou Borges para dores crônicas

Quando a gente puxa da memória poetas, poesias, livros e capas que são como “febre mágica”, nem sempre as circunstâncias foram iguais àquelas que narramos…encontrar um texto que fale disso, os bastidores da memória, sem culpa alguma (eu sempre me cobrei ter todos os detalhes, eles até me tiravam o sono) é reconfortante. Borges consegue…

Costura-se

Costura-se uma rima na outra Sem bainhas, pofavô! Sinestésica, creia versos alexandrinos também (Menos na hora do meu filme do Godard) Remendamos crônicas Apregamos adjetivos e algumas expressões latinas Damos jeito nos rasgões do peito, cá nos seus botões também… E passamos café na hora Vez em vento tem bolo de fubá!!!

50 tons de amarelo-ocre!

Se você nasceu ou cresceu (como eu) no Maranhão, deve ter sido ensinado que aqui a gente só tem duas estações: a estação da seca e a estação de trem (rsrs). A verdade é que entre meados de Dezembro até Maio as chuvas se intensificam, a paisagem assume vários tons de verde, o cheiro dela…

Um livro que é um lugar de descanso

Faz uns dias (32 anos, na verdade) que eu tô tipo aquele trecho do poema do heterônimo favorito (Álvaro de Campos/Fernando Pessoa):”mais variada que uma multidão de acaso”. Na leitura e na escrita isso vem acontecendo com mais frequência: Septuaginta, Livro de Daniel, Preconceito linguístico (Marcos Bagno), Prólogo de um Prólogo e prólogos (Borges), Valter…

Como ouvir Billy Holiday enquanto cozinha.

Eu leio livro de receitas desde que encontrei nas coisas da minha mãe um que era bem grosso, pesado e com as fotografias que pareciam Natal. Eu gastava tardes inteiras naquelas gravuras coloridas e elas nunca me cansavam. Toda vez que eu precisava de um descanso era pra lá que eu ia. Acho que foi…

“Take me out tonight” (porque chove lá fora)

Faz uns dois anos. Faz dois anos que choveu a última vez e a chuva ficou o tempo necessário pras mangas encharcarem os quintais. Faz dois anos que meti o pé na lama encantada com umas árvores diferentes que a gente achou no meio do mato. Então veio o sertão, o agreste, a terra amarela,…